06 junho, 2008

EM DEFESA DO TOURO BRAVO

EM DEFESA DO TOURO BRAVO

Como toda a gente sabe, o único e verdadeiro valor genuinamente civilizacional que hoje nos rege é a hipocrisia. E é precisamente em nome da hipocrisia que os (putativos) defensores dos direitos dos animais defendem o fim das touradas e dos touros de morte. Porque se os (putativos) defensores dos direitos dos animais se preocupassem efectivamente com o sofrimento dos animais, deviam preocupar-se com os bois e não com os touros.


Com efeito, em três ou quatro anos de vida do touro, este apenas sofre cerca de 30 minutos, o tempo que dura a lide. O resto do tempo, não há animal que viva junto do homem que tenha vida que se lhe compare. Vive em liberdade, em estado selvagem, inteiro.


Por seu lado, a vida do boi é feita de sofrimento desde que nasce até que morre: capado, amarrado a uma manjedoira quase sem espaço para se mexer, engordado a toque de farinhas e hormonas, para morrer ao fim de 6 meses num matadouro qualquer e sabe-se lá como. É uma vida triste, curta e sem o mínimo de dignidade.


Mas isso não preocupa, obviamente, os tais (putativos) defensores dos direitos dos animais. Na verdade, pouco lhes interessa que a vida do touro seja muito mais longa, saudável e alegre do que a do boi. Porque o que, na realidade, os preocupa não é o sofrimento dos animais, designadamente, do touro, mas (suprema hipocrisia) o facto de os verem sofrer. E como o que aparece na televisão são os 30 minutos da lide...


Ora, os defensores dos direitos dos animais fariam melhor em preocupar-se com os valores civilizacionais que transformaram a vida de certos animais domésticos num espectáculo verdadeiramente degradante do que com as touradas que enobrecem e perpetuam a vida dos touros bravos, proporcionando-lhes uma vida de fazer inveja à dos seus primos bois.
Acresce que, se é certo que a tourada é um espectáculo medieval, também é bom não esquecer que, nessa época, a sociedade se regia por valores bem diferentes dos de hoje, designadamente, a honra. Isto só para concluir que nem tudo o que é medieval é forçosamente negativo.
Além disso, o fim das touradas significaria, pura e simplesmente, o fim dos touros bravos. E tal como as reservas naturais são o garante da sobrevivência de muitas espécies animais, também as touradas são o único garante da perpetuação da raça dos touros bravos. Não existe um único país que seja criador de touros bravos em que o destino destes não seja as touradas.


É óbvio que todos aqueles que clamam pelo fim das touradas têm a perfeita consciência de que, no dia em que isso suceder, os touros bravos têm os dias contados. Mas a sua extinção tão pouco os preocupa. Antes pelo contrário, desejam-na ardentemente. Só que, depois, não se percebe muito bem por que razão fazem tanto alarido com a extinção de outras espécies que só conhecem da televisão. Ou seja, à boa maneira portuguesa, choram pela extinção de espécies que nunca viram, enquanto contribuem decisivamente para a extinção daquela que têm ao pé da porta.


Santana-Maia Leonardo

5 comentários:

S. Pedro disse...

Gostariamos que visitassem o nosso Blog, onde falamos sobre as Festas do Montijo e que também agradecíamos se nos ajudassem a fazer divulgação do mesmo. Obrigado.

www.montijo-festas-saopedro.blogspot.com

Anónimo disse...

Achei o artigo excelente.
É pena que não se possa copiar para o fazer circular através de email.
Há pessoas que desconhecem a realidade mas nunca abririam estes sites. Penso que os ajudaria a ficar um pouco mais esclarecidas.
Os antitaurinos circulam nos nossos meios dessa maneira e nós apenas discutimos entre nós.
Está mais que na hora de lutarmos a sério pelos nossos interesses
bem haja pelo artigo

José Luís disse...

Bom Dia

O artigo em si, está sem duvida interessante, mas, com alguma falta de rigor... as Lides, não duram 30 minutos, e os Verdadeiros Toiros Bravos (é o se tenta alcançar com a Dedicação de Alguns Ganaderos), não "sofrem" no verdadeiro sentido da palavra, pois, quanto mais provocados são, mais Investem. Eu até entenderia, que esses tais ditos "defensores dos Animais" se preocupassem com o sofrimento causado aos Toiros Bravos após o terminar das Lides. Teriam todo o meu apoio, se, tentassem junto das entidades oficiais, que todas as Praças de Toiros fixas, fossem obrigadas a criar condições para que os Toiros Bravos "Mansos" fossem imediatamente abatidos (melhor seria que o fossem na Lide "Luta", pois só assim, lhes seria dado o verdadeiro Valor e enaltecida a sua Honra. Com essas condições, automaticamente lhes seria poupado o Sofrimento desnecessáiro que lhes é infligido com todo o processo que vai desde o términos das Lides, até ao Matadouro, onde por vezes esperam mais de 24 horas para serem abatidos por um qualquer "Magrefe" sem o minimo de Honra que a Raça Brava merece. Não me quero alargar mais, mas muito fica por dizer...
Cumprimentos Taurinos

Anónimo disse...

Vocês são sadicos doentes...na idade média era tradição jogar os cristãos aos leoes..por que essa tradição foo abolida??
eu rezo todos os dias para que um dia vocês fritem emuma cadeira eletrica...
ja tentaram fazer isso em uma pessoa?
isso é doentio...existem milhares de maneiras de se divertir, mas os loucos procuram uma maneira de diversão vendo animais sofrerem...fazem isso pq eles são praticamente indefessos contra os humanos, mas se colocassem eu e qualquer um de vocês em uma arena e sem armas, eu faria você engolir seus intestinos ainda vivo, ja que você gosta tanto de sadismo.
é melhor extinguir uma raça, do que nascerem para serem torturados...os defensores só descansaram quando o ultimo toureiro for inforcado nas tripas do ultimo criador de touros bravos!!!

Anónimo disse...

Desculpem lá mas eu fui criado grande parte da minha vida no meio de toiros, animais com mais nobreza de carácter que algumas senhoras, ditas defensoras de causas que desconhecem, mas o que eu digo é para essas.vac....para comerem o seu bifinho, para engordar a sua valente con..., preferem , parafraseando"a vida do boi é feita de sofrimento desde que nasce até que morre: capado, amarrado a uma manjedoira quase sem espaço para se mexer, engordado a toque de farinhas e hormonas, para morrer ao fim de 6 meses num matadouro qualquer e sabe-se lá como. É uma vida triste, curta e sem o mínimo de dignidade.".

Desculpem, quem vem da terra dos toiros tem carácter forte e pega-os pelos cornos.

Ao menos, vou directo á verdade, e os ditos nomes que por nobreza de caracter não coloquei aqui, toda a ente sabe, incluindo as próprias, essas defensoras, mais que os outros.

bem haja a todos.

frase de um defensor do animais que desconhece"eu rezo todos os dias para que um dia vocês fritem emuma cadeira eletrica#, mais comentários para qu~e, os senhores de gravata, acabam com aquilo que o povo deixar, e não venham para cá porque com esses animais lindos também aprendemos muita coisa.